Início Brasil A atenção é o curativo do físico e da alma

A atenção é o curativo do físico e da alma

A experiência humana sobre aconchego físico, psicológico e até espiritual sempre pareceu ser condição referencial daqueles que se dispõem num ciclo social a cuidar do outro. Todo agrupamento social com registros históricos de civilização e/ou compreensão organizativa de uma sociedade nutriu a necessidade de ícones e personagens mais sensíveis e, portanto, figuras populares que cumpriam com uma função em seus núcleos, a ponto de transmitirem ao próximo seus sentimentos e emoções,  eram procurados a  fim da “cura” a partir desta afetividade.

Uma resposta aos aflitos é um caminho traçante em busca de certas personalidades com destaques até sacerdotais para esta cura, pois seja qual for o dano, quem busca o “remédio” tem a carência, e o caridoso sempre é identificado por motivos óbvios de ser aquele que ampara e completa. Neste período em particular, todo processo que parte de um fluxo humanizado de atenção para com as dores e o peso de suas subjetividades e um cuidado realizado com empatia, atenção e acolhimento integral tem um reflexo propositivo fundamental para com a Vida.

A “doença” não é só a manifestação sintomática perceptível ou imperceptível, mas uma condição de desencaixe de inúmeras características comportamentais, profissionais e emocionais.

É aí que o conceito de humanidade parece estar exatamente definido pelo detalhe classificado pela ciência por “sapien”, ou seja, “sábio”, e dentro deste conceito figura-se o sujeito meticuloso e cuidadoso na lida precedente aos aspectos subjetivos e naturais da vida humana como um Todo, que se traduz numa imposição empática,  no tratamento individualizado e respeito à intimidade e às diferenças.

Hoje, em conjuntura delicada que atinge níveis importantes das relações sociais, onde nunca foi tão marcante às memorias mais recentes o entendimento do quanto cada “peça” social pode fazer a diferença para o todo, um veículo dessa jornada aos cuidados talvez esquecidos ou banalizados tratado por patógeno conhecido como covid-19, lança todos em condições alarmantes de necessidades e cuidados ao corpo, mente e alma. O melhor medicamento em cada leito é a escuta atenta e diferenciada, com olhar sensível para as questões humanas gerando cura e autocura. Num processo de identificação genuína entre o curador e o curado.

Um pequeno curativo na “alma”, até o ritual de despedida final, tem a inerência do cuidado, e quem diria que atenção e amor não são sinônimos desta atitude altruísta de empatia universal? Assim são todos em grau de humanidade, especialmente os profissionais de saúde, remetidos numa alavanca que transforme a dor da covid-19 numa oportunidade de tratar do começo à conclusão de cada passo nas intervenções técnicas em pura e natural materialização de gestos de atenção, carinho e amor em socorro amplo e integral a todos os aspectos que anseia a natureza humana em busca da cura.

 Yurgan Targe é psiquiatra, gestor do Hospital de Campanha Itaigara Memorial – S3 gestão em saúde.

Must Read

16 capitais têm multa para a falta de máscara; são mais de 8 mil punições aplicadas em todo o país

Uso de máscara em locais públicos é obrigatório no Brasil. Objetivo é diminuir a transmissão da Covid-19, que ocorre principalmente pelo ar. Especialista diz...

Gilberto, do BBB21, é aprovado em segundo PhD nos Estados Unidos

Doutorando em Economia, o pernambucano Gilberto Nogueira vai ter mais uma surpresa quando deixar o BBB21. O brother conquistou mais uma bolsa para PhD, na University of California, Davis. A informação...

Contar o tempo ou calorias gastas?

Foram elencadas pessoas que se alimentavam em média por 15 h por dia. Eles foram divididos em 2 grupos: um grupo que passou a...

Como reduzir gordura abdominal?

Uma pesquisa realizada pela escola de saúde pública da Universidade de Harvard resolveu estudar esses dois tipos de exercício com foco na composição corporal,...

Você sabe seu somatotipo?

Você já ouviu falar em somatotipo? O somatotipo é uma técnica de classificação corporal que dividiu a propôs a divisão em três quesitos: 1.magreza2.musculatura3.adiposidade Esse padrão...